Pour nous joindre, cliquez psyp
Página inicial

Para contatar-nos

O Efeito Bumerangue

Nossos temas científicos

Órgãos genitais femininos

Nosso objetivo

A França e Deus

Ciência e Fé

Acesse nosso blog

Ler com música

Outros temas espirituais

A vida nasce do conhecimento

Sites amigáveis

2 – As igrejas cristãs

 

2 - 2 - Se a espiritualidade cristão é de natureza superior à as outras religiões, porquê não obtêm melhores resultados ?


Não é porque o meio posto na disposição cada um é superior, que é utilizado bem. Alguns diriam naquilo que “o inimigo”, chamado por outro lado Satan, ou o mestre da nossa natureza animal, ele ataca-los mais, dado que tem mais a perder de um meio espiritual divino que de um meio carnal do qual é o mestre. Isso não é inteiramente falso, mas não uma desculpa, porque se o desejo deos que querem seguir Deus é formal, o inimigo feito sempre uma obra que no engana, as suas derrotas que servem de degrau pé à nossa elevação espirituala. Colocar-se em vítima do Inimigo das nossas almas serve realmente apenas para justificar a nossa incompetência a não saber utilizar um coração à coração com Deus para fazer a sua vontade e não a nossa, mas também para promover Satã, que poderia ser considerado deste modo, superior ou pelo menos igual a Deus.

É fácil para nós para dizer em fala, fazer a vontade de Deus, mas agir somente em um simples aspecto carnal de bom cristão. e assim desacreditar a Aquele que estamos tentando promover. É por isso que aquele que se avança dizendo representar Deus como o facto a igreja em geral, e mais particularmente qualquer igreja cristã, pode desacreditar mais facilmente Deus que justificá-lo no entender da maioria. Mais aproximamos-nos com efeito real “carácter” de Deus, mais são susceptíveis de desacreditá-lo; não devido a ele, mas as nossas presunções.

Estas presunções começam já na nossa natureza charnelle que nos dá a impressão intelectual que pode fazer tanto muito, como ou não dotemo-nos do baptismo do Santo-Espírito, e qualquer que seja as maneiras de gerir que ensinamos o Santo-Espírito ele mesmo. É lá confundir as nossas capacidades de análises intelectuais acompanhadas de qualquer nossa boa vontade, e a nossa natureza espirituala ela mesma. Tentar fazer funcionar a lógica espirituala a partir de uma lógica charnelle, é tentar fazer ler um disco vinilo 33 voltas por um leitor CD ou reciprocamente. Sem o baptismo do Santo-Espírito, é com efeito impossível entrar nesta notícia lógica, razão pela qual as igrejas cristãs que não ensinam o baptismo do Santo-Espírito sobre o conjunto dos assuntos, mas apenas sobre os empregados chamados ao ministério, mantêm o conjunto da igreja numa dimensão charnelle régentée mais ou menos severamente.

Único, os que procurarão então intuitivamente Deus numa forma de coração à coração receberão às vezes sem mesmos o saber este dom do Santo-Espírito, que por-o-á quase inevitavelmente na idolatria do ministério ou ao oposto, no conflito. Aquilo conduz à uma diluição do Espírito Santo ao favor do espírito charnel, mesmo se é bom permanecer no equilíbrio e não  cair em nenhum excesso. Felizmente para aqueles, podemos dizer com certeza que Deus não espera que o homem seja ensinado da existência do Baptismo do Santo-Espírito para fornecer-o, se este reconhece sinceramente em Jésus o seu Salvador pessoal e Senhor da sua vida.  

Esta falta de ensino não é boa, mas há pior: É ensinar, ou deixar mesmo simplesmente supôr, que o Baptismo do Santo-Espírito é um fim em si, um pouco como se a nossa natureza antiga era transformada instantaneamente na natureza mesmo de Deus, e que o mais do Santo-Espírito faz-nos então passar numa dimensão quase superior. É uma ignorância de nós mesmos que leva a tais interpretações. Se o Espírito Santo invade, sem dúvida, toda dimensão do nosso Pequeno Cérebro  do Coração, no batismo no Espírito Santo, e traz temporariamente o que é geralmente chamado de alegria ou o fogo do primeiro amor, embora fundamental, é apenas a abertura de reescrever de modo mais ou menos grande o espirito carnal construído anteriormente no cérebro para nos dar o equilíbrio pretendido por Deus.

É verdade que o batismo com o Espírito Santo é um fim em si, para aqueles que o recebem nas condições de ladrão na cruz, mas este ensino se torna quase uma heresia, e pelo menos uma poderosa atração do inimigo, para a pessoa que recebe este Batismo do Espírito Santo em sua vida, para trabalhar para a Fé,  na uma renovação tão profunda como possível ao espírito da natureza humana, construída e construído em seu cérebro.

É perigoso e quase criminoso para ensinar a Graça do Espírito Santo em uma forma de superioridade cristã, que leva o homem a acreditar que ele é acontecido antes de ter ido. É neste momento, que aquele que deu razão a esta educação faz a fusão de duas situações opostas, como podem ser a morte do ladrão na Cruz e a vida de cada dia, usará o nome de Deus em vão e se tornará culpado para o terceiro mandamento de Deus. Mesmo que pressionar na cabeça de um bebê recém-nascido no seu banho, e levá-lo à confusão entre fé e presunções, desejos carnais e vontade de Deus, ver o orgulho e supremacia de Deus, é como usurpar glória a Deus. Deus será certamente sempre lá, para tentar abrir os olhos para a pessoa sincera que é na falácia, mas muitas guerras e mau testemunho poderiam ser evitados. A desgraça certamente não é demasiado grande, quando dirige-se à homens desconhecidos, mas pode ficar a fonte de muitos desastres se dirig-se-ir à uma pessoa fraca cujo poder é grande entre as nações.

O Espírito Santo nunca é encontrado em nossos corações para que possamos demonstrar a nossa superioridade sobre outros homens, atitude que Jesus nunca teve na Terra, mas, pelo contrário, para nos ajudar a superar nossos erros carnais com suavemente e verdade. Esta é uma graça adicional dado por Deus ao homem, para que possamos entrar na própria natureza de Deus de amor e serenidade. Depois de cada passo de fé que nos faz vencedor da nossa velha natureza, nós descobrimos que a lei de Deus em relação a "sua" vitória em nós, agora é listado na parte inferior do nosso coração, de acordo com uma maravilha de bom sentido que se torna então óbvio.

Deus quer tornar-nos participativo à sua Glória, mas na humildade somente.

Certamente compreenderam-lo sem que tenhamos a dizê-lo,  se a superioridade de Cristo não for destacada frequentemente, por relatório às religiões idólatras ou carnais, é devido às nossas presunções e o nosso orgulho, por conseguinte da nossa natureza humana. É assim que aqueles que agem com muito menos ponto a favor que nos, obtêm às vezes bem de melhores resultados, porque muitas vezes motivados pela só recompensa carnais.

Que Deus perdoa-nos!

Só o Amor permanecerá

Topo Continuação deste tema Início deste tema Sua página anterior Continuação deste tema