Pour nous joindre, cliquez psyp
Página inicial

Para contatar-nos

O Efeito Bumerangue

Nossos temas científicos

Órgãos genitais femininos

Nosso objetivo

A França e Deus

Ciência e Fé

Acesse nosso blog

Ler com música

Outros temas espirituais

A vida nasce do conhecimento

Sites amigáveis

AS MARAVILHAS DA PROCRIAÇÃO HUMANA

5 - Ovulação e andamento do óvulo fecundado nas tubas uterinas

Espermatozóide

Aquando da ovulação, os ligamentos dispõem o ovário de maneira a criar a impermeabilidade entre o pavilhão situado à extremidade da tuba uterina e o folículo de De Graff. Os fimbriaes (franjas), um pouco como dos tentáculos vêm então abranger a parte do ovário interessada.

Nidação Implantação no endométrio uterino

6/7, ver

8° dia

5° dia

4° dia

3° dia

2º dia

1 º dia,

1 º terceiro

O óvulo ou ovócito 1 é evacuado do ovário com o fluido folicular, e expulsado na tuba uterina (ou trompa de Falópio) aquando da ovulação.

Corpo lúteo

Os espermatozóides dirigem-se para as trompas de Falópio após um relatório sexual, ajudados pelo muco cervical do útero particularmente abundante ao período de ovulação, principalmente a nível do cervix (ou colo do útero). Banhados neste contexto, estes espermatozóides podem viver até à 3 dias.

Vista externa fora do período de ovulação da tuba uterina interessada. Os ligamentos estão ao descanso.

Acrossoma

Saco de enzimas que permite após ruptura, a digestão da zona pelúcida (pele) e a penetração do núcleo no óvulo

Núcleo

Único parte que possui os 23 cromossomas paternos e penetra o óvulo.

Cauda ou flagelo permitindo a progressão

Como podemos vê-lo abaixo, que é maravilhoso no humano como para qualquer mamífero, é este conjunto de órgãos que formam um sítio protegido para permitir a fecundação do óvulo ao mesmo tempo fora do organismo materno e interno à mãe. Fora do organismo materno porque qualquer introdução de um célula não conforme em totalidade a genética materno na uma seu célula seria combatido por seu sistema imune, e interno à mãe, a fim de preservar segurança e sobrevivência de óvulo fecundado em um ambiente protegido, que permitirá ademais de estabelecer os primeiras bases mental do feto. Não há então nunca introdução directo da componente genética macha nos tecidos carnais femininos. A fecundaçaõ faz-se sempre numa fase onde o óvulo está suspensão antes de ser implantado de uma maneira protegida do resto do indivíduo por uma placenta intermédia que permite a alimentação e o desenvolvimento do embrião seguidamente do feto cujos dados genéticos são apenas à cinquenta por cento conformes às da mãe.

Vemos quão complexo o sistema e como nada é deixado ao acaso, mesmo que apenas no sistema de recuperação do óvulo pelo fímbrias (franjas) e o pavilhão das Tubas uterinas quando a ovulação. Então, mesmo os ligamentos que apoiam o ovário fazem em espécie de ajustar os órgãos entre eles para que não haja expulsão do óvulo fora dos órgãos receptores.

As tubas uterinas são também dimensionados de forma a conservar o óvulo fecundado em suspensão durante o período que lhe permitirá uma sucessão de transformações por divisão (clivagem) da primeira célula chamada também “zigoto” após fecundação. O andamento faz-se em cinco à sete dias, ver 8 dia de acordo com da velocidade das divisões sucessivas. Essas divisões também permitiram a especialização das células que se tornam a placenta após a nidação (células trofoblásticas) e outros especializam-se na desenvolvimento embrionário (Células Embryoblastes, também chamado, a massa celular interna em inglês: Inner cell mass).

É só desde então que pode ser nidação, mas quase poderia dizer a reimplantação em organismo materno à nível, esta vez, do endométrio  (mucosas uterinas). A diferença é no entanto crucial, porque o óvulo no momento da ovulação, também chamado de oócitos 1, continha apenas vinte e três cromossomos maternos,  enquanto que este futuro ser humano agora contém quarenta e seis com 23 do pai, cujo o determinante sexual, X ou Y

Topo

Quando o folículo de de Graff atinge sua maturação, os ligamentos apoiando o ovário em causa, permitem o posicionamento além do paradeiro onde este amadurecimento no ovário, de modo que há uma vedação entre este último e o pavilhão da tuba uterina em causa, durante a ovulação. O líquido folicular, que é então projectado no Trompas de falópio com o óvulo (oócito 1 nesta fase) atua como gel de proteção e transportadora, mas dado que contém muita progesterona, também é isco usado os espermatozóides.

Início deste tema Continuação deste tema Topo Continuação deste tema